segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Festa de Criança

Tem coisa mais louca do que festa de aniversário de criança? É pai/mãe na manguaça, criança correndo pra lá e pra cá, ataque aos docinhos, etc.
Tudo começa bem, as mães e/ou os pais chegam com suas pequenas crias, eles estão meio acanhados e civilizados, logo arrumam um lugarzinho pra se sentarem e tomar uma cervejinha básica, enquanto o pequeno rebento localiza um semelhante, daí começa a correria. Eles correm pelo simples prazer de correr, sem nenhum objetivo plausível, lógico que nessa correria, derramam refrigerante por todo o piso, pedaços de comida (normalmente salgadinho, pois os doces e o bolo estão sãos e salvos até o momento do "Parabéns pra você"). Logo temos uma legião de diabinhos atropelando tudo e todos que encontram pela frente.
É tudo sempre igual, não interessa se é festa de pobre ou rico (só altera o local, que pode ser a varanda de casa - ou a laje - ou ainda um clube bem chique alugado, e a qualidade dos comes e bebes - salgadinho de quinta ou canapés). Quando os donos da festa veem (assassinaram o acento que estava aqui, anem) que seu adorável rebento mostra sinais de cansaço depois de receber tantos presentes e mimos das tias e de gente que ele nem imagina quem seja, é hora dos parabéns. A molecada se junta ali perto da mesa onde se encontra o bolo e os docinhos, até babando, cantam os parabéns pra você, o pirralho sopra a velinha, se puder, e a festa encaminha para os seus momentos finais. A garotada praticamente estupra a mesa de doces, ceifando aos punhados brigadeiros, olhos-de-sogra, docinhos de leite ninho, cajuzinhos, etc enquanto os adultos partem o bolo, fatias tão finas que mal dá pra um adulto normal consumir e se sentir satisfeito. Por fim, a galera começa a ir embora levando algum pratinho com alguma coisa dentro (normalmente um pedaço maior de bolo, um monte de docinhos e salgadinhos), o moleque levando um monte de balões, enquanto que os remanescentes são terrívelmente destruídos por uma horda de crianças alucinadas numa violência insana. Algum tempo depois (pouquíssimo tempo mesmo), mais gente vai embora e crianças são carregadas enquanto dormem.
No final de tudo, sobra aquela tia gorda que insiste em não ir embora, ou os pais no truco, o cenário da festa totalmente destuído, a decoração destroaçada, pedaços de comida, papéis de docinhos e copos descartáveis espalhados pelo chão. E os pais rezando para que o próximo ano demore a passar.

3 comentários:

Jardineiro de Plantão disse...

Anos de criança é assim mesmo... ainda se lembra de quando fazia anos?... Eu lembro e gostava bastante...

Abraço

Olhos Virtuais disse...

Putz, festa de criança é tudo igual, sempre muito engraçado ver as pessoas...
Muito bacana esse blog, cheio de coisas legais pra ler...

Voltarei mais vezes
Bjs

Quase Trinta disse...

FEsta de criança é tudo de bom tirando as cças.... kkkkkkkkkk