terça-feira, 19 de agosto de 2008

Propaganda Eleitoral

Hoje começa a propaganda eleitoral na TV, ou seria pagação de mico? É cada figura que aparece que a gente se pergunta até que ponto chega a imbecilidade humana. Já não basta a gente ter que aguentar esses malas na rua, gente que não tem nenhuma "escola de política" abordando a gente e pedindo voto, ainda tem que vê-los pagando verdadeiros king kongs na televisão.
A criatura fica ali, estática, somente os olhos se movem para ler o que está escrito, tudo sai com a emoção de um robô fazendo uma declaração de amor para uma secretária eletrônica, no final, parecem que se surpreendem com o fim do texto e soltam um risinho falso e sem graça. E os textos? Verdadeiras pérolas. Isso quando não termina com um bordão dos mais sem noção, do tipo "Vote Certinho. Vote Fulaninho", "Mudanças já. Vote no Vavá", entre outros. A gente não sabe se ri ou se chora assistindo isso.
Tem gente que se candidata, mas já tem um berço, pelo menos já foi presidente de turma no colégio, presidente do grêmio estudantil, presidente de bairro, nem que seja aquele que organizava as peladas dos sem-camisa contra os de-camisa no fim de semana, sabem como administrar caso seja um vereador, mas não, só aparecem umas pessoas que acham que ser vereador é só ficar ali mamando nas tetas do governo. Se bem que ganhar uma boa graninha sem fazer nada é tentador, mas acho que minha cara não seria tão amadeirada assim.
Lembro de dois ex-vereadores aqui que foram eleitos por pura sacanagem do povo, um é um doente mental que mal consegue cuidar de si mesmo e outro era um lixeiro (não desmerecendo a classe) cuja única ação era ficar assobiando para as crianças, seus "maiores fãs". E o que eles fizeram? Nada. Nadinha mesmo, a não ser ficar 4 anos vivendo às custas do governo e atrapalhando o serviço de pessoas que todos sabemos que poderiam fazer algo em prol da cidade.
Mas o mais legal mesmo é ver essas feras no Fantástico quando acabarem as eleições. Cada figura que, sinceramente, nem Freud explicaria.
Outra coisa que outro dia mesmo passou no jornal, foi uma candidata de uma cidade no nordeste que conseguiu se eleger sem nenhum voto, nem ela mesma "se votou", mas ainda assim, por ser suplente e se beneficiar do voto de legenda, chegou lá e assumiu sua cadeirinha na câmara municipal. Sempre acontece isso, tem gente que não acredita nem em si mesmo e não leva voto nenhum, ou senão ainda leva o seu ou do pai ou mãe.
Mas nada paga a gente ver os conhecidos pagando mico, como ex-professores, vizinhos, etc.

Um comentário:

Sun Happy disse...

Ta uma piada mesmo esse horario politico!
É de almofadinha para ex lixeiro.