sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Urucubaca Olímpica

Como não poderia deixar de ser, o Brasil, agora carinhosamente chamado de Bronsil, anda só levando nabas olímpicas nas finais. Parece até urucubaca, daquelas bravas, feitas com legítima galinha afro cantora de pagode e autêntica farofa de filé mignon.
Toda olimpíada é assim, o Brasil dá um duro danado, manda aquela porrada de gente para as Olimpíadas, tudo campeão, gente que tem coleção medalhas e troféus de mundiais, de campeonatos americanos, até medalhas de salto com vara por cima da cerca do berço na creche, mas chega lá, é um erro atrás do outro, consegue chegar na final e perde. Às vezes ganha todas, mas na hora de disputar o Ouro, não dá certo e perde feio, isso ocorre muito nos esportes coletivos, pois os esportes solitários parecem se sair melhor, mas nem tanto. Como pode uma seleção pentacampeã do mundo (não que eu goste de futebol, já deixei bem claro nesse blog a minha posição com relação a esse "esporte de macho") pode nunca ter conseguido uma medalha de ouro em uma Olimpíada? Uma questão complicada.
E mais do que essas derrotas (vencer não é tudo, mas se tiver que perder que seja com categoria e se puder empatar, melhor ainda), é o Galvão Bueno. Ele consegue ser um chato olímpico. Paga pau pra todo mundo que é brasileiro, aposto que se o Hitler fosse brasileiro, ele tentaria justificar seus atos e narraria com toda a sua "peculiar emoção" algum assassinato na câmara de gás. Medalha de ouro pra ele no quesito chatisse. Aliás, acho que comecei a odiar futebol por causa dele...

Um comentário:

Sun Happy disse...

E ai Lú!
Menina cheguei em casa morta, tava vermelhinha suando até, ai corri tomei um banho para baixar a temperatura do corpo e nada , fui pra escola suando ....
Aposenta Galvão!